Ceifar, reconstruir, amar...


16/11/2008


Verbo Brasileiro

(Maria Rita Pereira)

 

 

Anhangá

Vespas e beijas flores

O grito dos ancestrais ecoa
No caracol acústico soa.

Estes versos translúcidos 

Cochicham em minha concha e arrepiam

Como sons dos guatambus

Corajoso canto do anú
Movimentam o fundo bentônico
Fertilizam!
Revelam!

Dante conhece a fera que dormita aí
Soltando as travas da língua
Imita o bem te vi, desorientado ao fogo.
Após a guerra que travas dentro de si
Ante a derrocada deste país
Cujos que amam não mandam
L
evantam o vôo da perdiz.

Enquanto a roda teima em arrastar

Todo levante que há por aí.

 

Oh! meu Tupã

Olodumaré
Este grito há de se fazer ouvir.
Negro, índio, branco, pobre, miscigenado

O grito dos ancestrais

Borbulha dentro dos ais
Deste corpo em betume, santificado.

 

Quero estar contigo
Mover estas montanhas
Transmutar a fera
Liberdade aos que morrem de ausência
da fartura desta terra
Arrastam os pés descalços no chão
Zumbis, tapajós, pankararus, tinguis...

Continua a matar a nascente alma brasileira

A gordura mórbida de homens chupins

 

Oh! meu Tupã

Olodum

Este grito há de se fazer ouvir

Amanayé

 

Escrito por Maria Rita Pereira às 14h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

09/11/2008



 


Ventos verdadeiros

Escrito por Maria Rita Pereira às 15h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

07/11/2008


http://www.youtube.com/watch?v=meJTGA-Rnek

veja o vídeo

 

Categoria: Citação
Escrito por Maria Rita Pereira às 13h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]